Estágio Não Remunerado Vale a Pena?



     

Existem duas formas de estágio: os obrigatórios e os não obrigatórios, de acordo com a Lei de Estágio 11.788/2008. Em diversos cursos universitários a experiência na área é obrigatória para a obtenção do diploma, com uma carga horária pré-determinada para ser cumprida. Na maioria dos casos, este tipo de experiência não é remunerada e terá que ser realizada.

Caso não seja experiência obrigatória, toda empresa por lei deve oferecer uma remuneração, mas esta pode ser de outras formas como material didático, bolsa em cursos ou a maneira acordada entre empresa e estudante. Neste caso, como avaliar se vale a pena ou não fazer parte do quadro de estágio de determinada empresa?

Primeiro avalie se a oportunidade trará algum conhecimento digno de tal esforço. Afinal, haverá gastos como transporte, alimentação e tempo de estudo deslocado que em muitas vezes em nada acrescentam ao universitário. Caso você tenha a real oportunidade de aprendizado, supervisão sempre presente e espaço para pôr em prática o aprendido em sala de aula, a experiência pode ser muito gratificante.

O porte da empresa também deve ser avaliado. Micro e pequenas empresas ainda em fase de formação, sem notoriabilidade no mercado de trabalho podem não ser uma boa opção. Não se deve descartá-las, mas é muito bom fazer uma análise e listar os prós e contras. Em muitos casos tais empreendimentos convocam um estagiário para substituir um profissional da área, sendo motivo até de denuncia.

Pergunte a amigos e professores sobre a empresa, se há algum conhecimento, pesquise na Internet os dados. E mais uma dica: mesmo aceitando não haver pagamento de bolsa auxilio, é direito por lei a empresa fornecer os gastos básicos como transporte e alimentação.

Por Lidianne Andrade