Como montar um Currículo para Estágio




Alguns aspectos devem ser levados em consideração no momento de montar um currículo para buscar uma vaga de estágio.

Você está no ensino médio ou já no superior e quer ingressar em seu primeiro estágio. Você quer demonstrar da melhor maneira as suas qualidades e experiências e, para isso, deve montar um bom currículo. E como fazer isso?

– Área de Atuação:


Se a pessoa, por exemplo, tem a intenção de ingressar em um banco, o correto é apontar qual a área quer: de crédito, financeira ou de risco. Tudo depende da sua intenção.

– Um bom resumo:

O candidato deverá fazer um resumo em uma única página, prestando muito a atenção para evitar erros de português. Especialistas comentam que o ideal é usar a letra Arial, no tamanho padrão que é 12 e na cor preta.


– Nome do candidato:

Esse item deverá ter o tamanho da letra um tanto maior que o restante do currículo. O tipo fica ainda em Arial, mas o tamanho em número 14. Depois, aponte outros dados como sua idade (coloque 32 anos, por exemplo, para evitar que o recrutador tenha que fazer contas), nacionalidade, estado civil, endereço (bairro, telefone, CEP e e-mail).

Quando abordar a sua conta de e-mail, tenha em mente algo profissional e não apelidos no mesmo.

– Suas habilidades:

Pode haver uma categoria com o nome de Qualificações, que fica depois do seu Objetivo. Liste, no máximo, quatro das suas principais qualidades. Pense nelas através da sua vocação. Questione seus professores sobre no que você se sobressai e até a família poderá lhe ajudar nesse momento. Algumas habilidades são pontualidade, pessoa dinâmica, liderança, bom relacionamento interpessoal, foco em resultados, pessoa organizada, entre outros.

Noções de informática também pode se encaixar nessa categoria, ou então, criar um item Informática mais perto do final do documento. Noções mais requisitadas deste tópico são o Excel, Word e PowerPoint.

– A sua formação acadêmica:

Caso a pessoa ainda esteja em curso dos estudos, aponte qual a previsão da conclusão dos mesmos. Isso é melhor que colocar o semestre ou o período, pois evita que a pessoa que recruta tenha dúvidas em relação ao tempo que falta para finalizar o estudo em questão.

– Idiomas:

Mesmo que seja algo básico, é bom colocar algum curso de idiomas que você tenha feito. Qualquer ponto interessante no quesito línguas vai ser um diferencial. Porém, se você não é de fato fluente, nunca aponte isso como verídico no currículo. O melhor é apontar se está em um nível avançado ou intermediário, por exemplo.